“Considero todas as coisas como prejuízo…»

Ouvirmos hoje esta frase de São Paulo pode parecer descabido, pois valorizamos riqueza, poder, domínio, redes sociais (andar nas bocas do mundo), casas. O papa Francisco bem nos lembra que ninguém nos pode tirar a alegria do Evangelho, a alegria da fé! A fé é viver em união com Cristo, este bem supremo que se encontrou e conheceu como nos diz S. Paulo (Flp. 3,16)

Tudo o mais é desinteressante quando o nosso viver só faz sentido com Cristo. Fazemos caminhada rumo à santidade, à meta, cujo prémio é o encontro com Deus.

A caminhada quaresmal nos devia colocar nesta senda espiritual: caminhar juntos para chegarmos à meta e alcançarmos a Cristo. É ele o centro e a razão da fé em atração contínua ao seu coração. Não há que apontar o dedo a outrém a não ser cada um para si próprio. «Quem de vós não estiver em pecado atire a 1ª pedra!”(Jo 8,7). Nem mais nem menos! Cada qual olhe para si e «Não voltes a pecar»(Jo 8,11). Como seríamos melhores se seguíssemos esta máxima de Jesus, já que cada um sabe de si e Deus de todos como diz o provérbio. Pois que não nos preocupemos apontar e falar dos demais (a tal bilhardice, bem presente entre nós), em que tudo o mal devia ser para calar…), mas a força do hábito é forte. Nunca é tarde para mudar. A renúncia quaresmal seja sinal e expressão dessa mudança: Ajuda a Mananjary devastada por 2 tufões.

 

MESA DA PALAVRA – V Domingo da Quaresma 

1ª Leitura: Is 43, 16-21 – Assim fala o Senhor, que outrora abriu um caminho através do mar, uma estrada nas torrentes das águas; 17 que pôs em campanha carros e cavalos, tropa de soldados e chefes; caíram para nunca mais se levantarem, extinguiram-se como um pavio que se apaga: 18 «Não vos lembreis dos acontecimentos de outrora, não penseis mais no passado, 19 pois vou realizar algo de novo, que já está a aparecer: não o notais? Vou abrir um caminho no deserto, e fazer correr rios na estepe. 20 Glorificar-me-ão os animais selvagens, os chacais e as avestruzes, porque hei-de fazer brotar água no deserto e rios na terra árida, para dar de beber ao meu povo, o meu eleito, 21 o povo que Eu formei para mim, e assim hão-de proclamar os meus louvores

2ª Leitura: Filip 3, 8-14 – Sim, considero mesmo que tudo isso foi uma perda, por causa da maravilha que é o conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor: por causa dele, tudo perdi e considero esterco, a fim de ganhar a Cristo 9 e nele ser achado -não com a minha própria justiça, a que vem da Lei, mas com a que vem pela fé em Cristo, a justiça que vem de Deus e que se apoia na fé. 10 Assim o posso conhecer a Ele, na força da sua ressurreição e na comunhão com os seus sofrimentos, conformando-me com Ele na morte, 11 para ver se atinjo a ressurreição de entre os mortos. 12 Não que já o tenha alcançado ou já seja perfeito; mas corro, para ver se o alcanço, já que fui alcançado por Cristo Jesus. 13 Irmãos, não me julgo como se já o tivesse alcançado. Mas uma coisa faço: esquecendo-me daquilo que está para trás e lançando-me para o que vem à frente, 14 corro em direcção à meta, para o prémio a que Deus, lá do alto, nos chama em Cristo Jesus.

Evangelho: Jo 8, 1-11 – Jesus foi para o Monte das Oliveiras. 2 De madrugada, voltou outra vez para o templo e todo o povo vinha ter com Ele. Jesus sentou-se e pôs-se a ensinar. 3 Então, os doutores da Lei e os fariseus trouxeram-lhe certa mulher apanhada em adultério, colocaram-na no meio 4 e disseram-lhe: «Mestre, esta mulher foi apanhada a pecar em flagrante adultério. 5 Moisés, na Lei, mandou-nos matar à pedrada tais mulheres. E Tu que dizes?» 6 Punham-lhe esta pergunta para o fazerem cair numa armadilha e terem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se para o chão, pôs-se a escrever com o dedo na terra. 7 Como insistissem em interrogá-lo, ergueu-se e disse-lhes: «Quem de vós estiver sem pecado atire-lhe a primeira pedra!» 8 E, inclinando-se novamente para o chão, continuou a escrever na terra. 9 Ao ouvirem isto, foram saindo um a um, a começar pelos mais velhos, e ficou só Jesus e a mulher que estava no meio deles. 10 Então, Jesus ergueu-se e perguntou-lhe: «Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?» 11 Ela respondeu: «Ninguém, Senhor.» Disse-lhe Jesus: «Também Eu não te condeno. Vai e de agora em diante não tornes a pecar.»

 Renúncia Quaresmal: Ajuda à diocese de Mananjary em Madagáscar, devastada por 2 tufões.

 

   AGENDA PAROQUIAL 

   10 de Abril – Domingo de Ramos: Bênção Ramos: Largo Herédia, 9h45.  Celebrações: 7h30, 10h, 12h – início Semana Santa

10-17 Abril – Semana santa

24 Abril – Início visitas do Espírito Santo.

 

 2. Visita do Espírito Santo após missa das 7h30 – 24 de abril:

Achada – Tem Festeiro

Pico – Tem Festeiro

Cova e caminho Chão – Não Tem Festeiro

 

Visita do Espírito Santo – 01 de maio

Apresentação – Não Tem Festeiro

Vale e Barreiro – Tem Festeiro

 

Visita do Espírito Santo8 de Maio

Terça, Moreno, Fajã Flores, Pedra Mole – Tem Festeira

Fajã da Ribeira – Não Tem Festeiro

Fajã da Ortiga – Não Tem Festeiro

 

Visita do Espírito Santo15 de Maio

Cruz Banda Além – Não tem Festeiro

Pomar da Rocha – Não Tem Festeiro

Cabouco, Fonte Pinheiro, Cruz e Caldeira – Tem Festeiras

 

Visita do Espírito Santo22 de Maio

Lombo Cesteiro – Não Tem Festeiro

Murteira – Não Tem Festeiro

Meia Légua – Tem Festeira

 

Visita do Espírito Santo29 de Maio

Furna – Tem Festeiro

Muro e Moinhos: 1º grupo tem Festeiro. Falta Festeiro para 2º grupo

 

Visita do Espírito Santo5 de Junho – Pentecostes

Espigão – Tem Festeiro

Vila – Tem Festeiros