“Tínhamos de fazer festa!…»

É bom alegrar-se com o bem e entristecer-se com o mal alheio. Tudo o bem falar e todo o mal calar! Se conseguíssemos proceder retamente connosco e com os demais o céu faria festa. Não faz festa quando nos vê corroídos por maldade, inveja, ciúme e língua venenosa. Esta é bem característica dos meios pequenos do maldizer. Caímos em rotina ordinária e não notámos. A habituação faz-nos indiferentes e incons- cientes do mal que podemos causar.  As leituras deste domingo apelam a atitude cristã de renovação: “as coisas antigas passaram, tudo foi reno- vado. Tudo vem de Deus que por Cristo nos reconciliou” (2Cor 5,7)..Jesus mostra a atitude do Pai: “Este homem acolhe os pecadores e come com eles” (Lc 15,3). É novo o modo como Jesus se relaciona com os vulneráveis e com os fracos. Não será oportuno meditarmos nos gestos de Jesus, nós que tanto desejamos um mundo melhor? Esse mundo é melhor se melhorarmos o nosso ser. Querer ver cair do céu tudo feito seria deixar de lado a parte que nos compete, pois Deus não falta. Aprender a alegria com quem se volta para o bem é celebrar o bem e a graça de Deus em nós. O Pe. Dehon pede que os seus religiosos sejam profetas do amor de Deus e servidores da reconciliação. É um desafio também para a paróquia. Assim poderemos fazer festa no Coração de Deus e na vida de todos nós!

 

Agenda Paroquial Abril e Maio de 2022

1 abril100 anos da morte do Beato Carlos de Áustria. Sé, 10h

10 de abril – Domingo de Ramos: Bênção Ramos: Largo Herédia,9h45. Celebrações: 7h30, 10h, 12h – início Semana Santa

10-17 abril – Semana santa

24 abril – Início visitas do Espírito Santo.

 

1. Visitas do Espírito Santo em 2022, após missa das 7h30

24 de abril: Achada – Tem Festeiro

Pico – Tem Festeiro

Cova e caminho Chão – Não Tem Festeiro

 

Visita do Espírito Santo – 01 de maio

Apresentação – Não Tem Festeiro

Vale e Barreiro – Não Tem Festeiro

 

Visita do Espírito Santo8 de Maio

Terça, Moreno, Fajã Flores, Pedra Mole – Tem Festeira

Fajã da Ribeira – Não Tem Festeiro

Fajã da Ortiga – Não Tem Festeiro

 

Visita do Espírito Santo15 de Maio

Cruz Banda Além – Não tem Festeiro

Pomar da Rocha – Não Tem Festeiro

Cabouco, Fonte Pinheiro, Cruz e Caldeira – Tem Festeiras

 

Visita do Espírito Santo22 de Maio

Lombo Cesteiro – Não Tem Festeiro

Murteira – Não Tem Festeiro

Meia Légua – Tem Festeira

 

Visita do Espírito Santo29 de Maio

Furna – Tem Festeiro

Muro e Moinhos: 1º grupo tem Festeiro. Falta Festeiro para 2º grupo

 

Visita do Espírito Santo5 de Junho – Pentecostes

Espigão – Tem Festeiro

Vila – Tem Festeiros

 

Mesa da Palavra

IV Domingo da Quaresma: Lc 1-3.11-32 – Aproximavam-se dele todos os cobradores de impostos e pecadores para o ouvirem. 2 Mas os fariseus e os doutores da Lei murmuravam entre si, dizendo: «Este acolhe os pecadores e come com eles.» 3 Jesus propôs-lhes, então, esta parábola: 11 Disse ainda: «Um homem tinha dois filhos. 12 O mais novo disse ao pai: ‘Pai, dá-me a parte dos bens que me corresponde.’ E o pai repartiu os bens entre os dois. 13 Poucos dias depois, o filho mais novo, juntando tudo, partiu para uma terra longínqua e por lá esbanjou tudo quanto possuía, numa vida desregrada. 14 Depois de gastar tudo, houve grande fome nesse país e ele começou a passar privações. 15 Então, foi colocar-se ao serviço de um dos habitantes daquela terra, o qual o mandou para os seus campos guardar porcos. 16 Bem desejava ele encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam, mas ninguém lhas dava. 17 E, caindo em si, disse: ‘Quantos jornaleiros de meu pai têm pão em abundância, e eu aqui a morrer de fome! 18 Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e vou dizer-lhe: Pai, pequei contra o Céu e contra ti; 19 já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus jornaleiros.’ 20 E, levantando-se, foi ter com o pai. Quando ainda estava longe, o pai viu-o e, enchendo-se de compaixão, correu a lançar-se-lhe ao pescoço e cobriu-o de beijos. 21 O filho disse-lhe: ‘Pai, pequei contra o Céu e contra ti; já não mereço ser chamado teu filho.’ 22 Mas o pai disse aos seus servos: ‘Trazei depressa a melhor túnica e vesti-lha; ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés. 23 Trazei o vitelo gordo e matai-o; vamos fazer um banquete e alegrar-nos, 24 porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi encontrado.’ E a festa principiou. 25 Ora, o filho mais velho estava no campo. Quando regressou, ao aproximar-se de casa ouviu a música e as danças. 26 Chamou um dos servos e perguntou-lhe o que era aquilo. 27 Disse-lhe ele: ‘O teu irmão voltou e o teu pai matou o vitelo gordo, porque chegou são e salvo.’ 28 Encolerizado, não queria entrar; mas o seu pai, saindo, suplicava-lhe que entrasse. 29 Respondendo ao pai, disse-lhe: ‘Há já tantos anos que te sirvo sem nunca transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito para fazer uma festa com os meus amigos; 30 e agora, ao chegar esse teu filho, que gastou os teus bens com meretrizes, mataste-lhe o vitelo gordo.’ 31 O pai respondeu-lhe: ‘Filho, tu estás sempre comigo, e tudo o que é meu é teu. 32 Mas tínhamos de fazer uma festa e alegrar-nos, porque este teu irmão estava morto e reviveu; estava perdido e foi encontrado.’»

                                                               Renúncia Quaresmal: Ajuda à diocese de Mananjary em Madagáscar, devastada por 2 tufões