Pagina Inicial Ora Et Labora Horário Liturgico Projecto Pastoral Museu Casamento Baptismo Fotografias Historial
 
 
 
Menu Principal
Inicial
Historial
Horário Litúrgico
Ora et Labora
Actividades
Fotografias
Centro Social
Links Gerais
Paroquia da Ribeira Brava
Missa Nova
Museu
Casamentos
Baptismo
Horário da Catequese
Celebrações da Catequese
Projecto Pastoral
Oração da S- Bento
Quem está Em Linha
Estatísticas
Visitas: 244733
Contactos

Telf - 291 952 172
Fax - 291 957 958
Sugestões - paroquia_ribeirabrava
@netmadeira.com

Morada - Rua Comachos Nº20
9350-214 Ribeira Brava

 
Inicial
Descrição
Ora et Labora

«Tende coragem, não temeis!»
Ao lermos a Sagrada Escritura descobrimos que na História da Salvação do Povo de Deus sempre houve altos e baixos ou seja, épocas de abundância e épocas de crise. Os mecanismos humanos nem sempre resultam em bem para todos e as soluções intentados nos momentos precisos nem sempre resolveram os problemas de modo satisfatório. Todos temos limitações e contingências humanas. A vida nem sempre sorri como gostaríamos, mas também não é sempre "um vale de lágrimas!" Deus sempre enviou sinais de coragem e auxílio através dos profetas, que foram os instrumentos de Deus para animarem e acalentarem o seu povo. Nos tempos que atravessamos muitos de nós sentimos bem viva a "questão da crise económico-financeira"
após tempos de "fartura e abundância", quais panelas do Egito, lembradas pelo povo na travessia do deserto, sem nos darmos conta, que a liberdade de opção tem o seu preço. Permanente e fiel é Deus, o humano é sempre passageiro! Precisamos de ouvir Diogneto no séc. II: "Os cristãos vivem na terra como o olhar fito no céu!" Era bom que assim acontecesse!
Neste Domingo as leituras ajudam-nos a ganhar calos «humanos e espirituais» para os nossos dias. De ouvidos 'afitos' na mensagem da Palavra de Deus, deve ecoar aos nossos ouvidos e ao nosso coração: "Dizei aos corações atribulados: Tende coragem, não temais. Aí está o vosso Deus para fazer justiça e dar a recompensa"(1ª Leit.). Deus que não faz diferenciação de pessoas (2ª Leit.) é um Deus que acolhe em qualquer condição e convida a abrir-nos à sua presença (Evang.). Trata-se de uma bela mensagem sempre atual e atuante, basta que abramos o coração e a mente a Cristo para recebermos o sopro de Deus, nos gestos que Deus suscita e realiza em todos os tempos a favor do seu povo. Temos nós a capacidade de questionarmo-nos até que ponto ainda somos capazes de escutar a Palavra de Deus? As preocupações, os problemas, as angústias, as aflições de momento e os apertões da vida, ofuscam a mente e o coração para o bem maior que é Deus. Lá vem de Deus o auxílio, a ele pertence o céu e a terra! Logo a mensagem «Tende coragem, não temeis!» é a pedra de toque que vem ao encontro de todos nós, não esquecendo o dito de Jesus: «Quando rezardes, dizei: Pai nosso!..."
P.Trindade,scj

VIDA PAROQUIAL

1.. Matrículas na Catequese para as crianças que façam este ano 6 anos. Pede-se que no ato da matrícula tenham a cédula de Batismo. As inscrições são feitas no horário do escritório à semana e ao Domingo, antes e após a missa das 10h.

2.. CNE/Escuteiros recebe inscrições para crianças que queiram fazer a experiência escutista. Favor contatar os chefes: Zé Maltez e Profª Cláudia

3.. Peregrinação à Terra Santa no Jubileu do Pe. B. Trindade, de 27 de Outubro a 3 de Novembro de 2015. As inscrições são feitas na paróquia até ao dia 22 de Setembro. A viagem em regime de pensão completa, conforme o programa, com custo de 1.630,00€. Documentos exigidos: passaporte em dia, Bilhete de Identidade e Contribuinte ou Cartão Cidadão. Realiza a viagem a agência Geostar.

4.. Aconselha-se o livro de leitura nas férias a nova encíclica do Papa Francisco: Laudato si sobre as questões do ambiente.

5.. Na 5ª feira, dia 20 de Agosto, conforme anunciado oportunamente decorreu o 1º Encontro de universitários da paróquia da Ribeira Brava no salão paroquial. Encontro informal e de troca de informações.

6.. As catequistas tenham em atenção a Reunião de preparação do ano catequético de 2015/2016 no dia 16 de Setembro, 4ª feira, às 20h15 no salão.

VOTOS DE BOAS FÉRIAS
E/OU BOM TRABALHO PARA TODOS!..

MESA DA PALAVRA

1ª Leitura - Is,35, 4-7 - Dizei aos que têm o coração pusilânime: «Tomai ânimo, não temais!» Eis o vosso Deus, que vem para vos vingar. Deus vem em pessoa retribuir-vos e salvar-vos. 5 Então se abrirão os olhos do cego, os ouvidos do surdo ficarão a ouvir, 6 o coxo saltará como um veado, e a língua do mudo dará gritos de alegria. Porque as águas jorraram no deserto e as torrentes na estepe. 7 A terra queimada mudar-se-á em lago, e as fontes brotarão da terra seca. No covil onde repousavam os chacais, crescerão canas e juncos.

Salmo: 145(146) - Ó minha alma, louva o Senhor

2ª Leitura: Tg 2, 1-5 - Meus irmãos, não tenteis conciliar a fé em Nosso Senhor Jesus Cristo glorioso com a aceção de pessoas. 2 Suponhamos que entra na vossa assembleia um homem com anéis de ouro e bem trajado, e entra também um pobre muito mal vestido, 3 e, atendendo ao que está magnificamente vestido, lhe dizeis: «Senta-te tu aqui, num bom lugar», e dizeis ao pobre: «Tu, fica aí de pé»; ou «Senta-te no chão abaixo do meu estrado.» 4 Não é verdade que, então, fazeis distinções entre vós mesmos e que julgais com critérios perversos? 5 Ouvi, meus amados irmãos: porventura não escolheu Deus os pobres segundo o mundo para serem ricos na fé e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam?

Evangelho do XXIII Domingo Comum: Mc 7, 31-37 - Tornando a sair da região de Tiro, veio por Sídon para o mar da Galileia, atravessando o território da Decápole. 32 Trouxeram-lhe um surdo mudo e rogaram-lhe que impusesse as mãos sobre ele. 33 Afastando-se com ele da multidão, Jesus meteu-lhe os dedos nos ouvidos e fez saliva com que lhe tocou a língua. 34 Erguendo depois os olhos ao céu, suspirou dizendo: «Effathá», que quer dizer «abre-te.» 35 Logo os ouvidos se lhe abriram, soltou-se a prisão da língua e falava corretamente. 36 Jesus mandou-lhes que a ninguém revelassem o sucedido; mas quanto mais lho recomendava, mais eles o apregoavam. 37 No auge do assombro, diziam: «Faz tudo bem feito: faz ouvir os surdos e falar os mudos.»