As Festas na paróquia!…

O mês de Junho dá início às festas paroquiais renovando na paróquia e nas famílias toda a azafama própria destes dias e destes momentos. Naturalmente que as instituições e as empresas participam a seu modo destas realidades festivas da vida cristã. Os momentos importantes da vida exigem preparação atempada e as festas da catequese e da paróquia também participam nestas exigências, pois são feitas por nós. Era bom termos uma “lâmpada de Aladino”, mas ainda assim ficaria de fora a nossa participação e tudo o que envolve as festas. Se estas não mexem connosco, falta-nos algo, falta o tal gosto, de empenho, entusiasmo e participação. Quando se faz parte e tomamos em mãos as coisas, damos valor e razão a quem faz. Expetadores só mesmo nos espetáculos!…Para isso vamos aos outros lados apreciar!

Relembro alguns dados que nos levam certamente ao cerne da questão. A Primeira Comunhão tem uma preparação de 3 anos de catequese, ensina-se a criança a rezar, confessar-se, comungar e a vir à missa, já que os pais não têm tempo para nada…. A Profissão de Fé tem um percurso de 6 anos de catequese em que os adolescentes são chamados a aprofundar a fé e a tomarem consciência do quanto é importante viver o Evangelho em comunidade com idade própria de “rebeldia”. O Crisma é feito no termo de uma percurso de 10 anos de catequese, juventude em efervescência!… Os jovens devem confirmar e assumir publicamente a fé. Aos padrinhos cabe-lhes ajudar e acompanhar, nas devidas condições. Naturalmente que as famílias implicam-se nestas celebrações e pedimos-lhes que não vejam só a festa como ato social.

As festas na paróquia como sabeis exigem organização a todos os níveis e têm o condão de correrem bem quando nos preocupamos com a nossa preparação espiritual e humana e organizacional. Isto não é só de “rega bofe!..”, para isso já temos as famosas “party”. As festas são sempre acontecimentos de fé das famílias e da comunidade, de encontro, convívio, visitas, matar saudades, porque feitas ao “Santo e ao Senhor”, diferentes de santos e senhores”! Porque “existem comes e bebes” nas festas, gera-se o arraial. Bom e expetável seria que o arraial não suplantasse a festa, porque quando só se vê arraial, tudo serve para implicar. Já agora não nos fica mal agradecer o esforço feito para bem de todos e ver para além do alcance das vistas!

Faço votos que estes dois meses que estão no horizonte das nossas vidas sejam repletos de bênçãos e unam famílias, paróquia, empresas, instituições e todos sintamos esperança e entusiasmo na vidas.

 

ACONTECE NA PARÓQUIA DA RIBEIRA BRAVA

. o Terço continua no mês de junho de 2ª a 6ª feira, às 20h na igreja até a Festa do Coração de Jesus, 8 de junho.

❷. Agenda de junho

  1. Peregrinação Dehoniana a Fátima
  2. 08. Festa do Coração de Jesus ( 8H,10H). Padroeiro dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos)

     09.Confissões 1ª Comunhão e Profissão de Fé na igreja ( 10H

      10. Encontro preparação Crisma do 10º ano (10H)

Encontro Diocesano das Catequistas na igreja de Santa Cecília, (14h30-18H!) As catequistas devem fazer inscrição

  1. 16. 1ª Comunhão (17H)
  2. Profissão de Fé (11H30)
  3. 23. Caminhada, 5ª ano de Catequese ( 9H30)
  4. 27. Início Festejos São Pedro. Charola na Fajã da Ribeira
  5. 28. Véspera São Pedro: Romagens: Vale/Avé Maria (14h), Barco-Achada (17h30) e Charola (19h). Novena São Pedro (21H) Marchas (22H). Igreja encerra às 3h.
  6. 29. Festa São Pedro – Missa e Procissão (16H). Preside o Sr. Bispo

❸.Agenda de julho

  1. 01. Missa ex-combatentes-Pe. Simões, Capelão militar (11H30)

        02-06. Semana Juventude, (14H30-17H)

       07. Véspera Festa do Santíssimo (20H)

       08. Festa do Senhor – Missa e Procissão (16H)

      11-18. Peregrinação à Terra Santa

  1.  Véspera Festa Sª da Saúde – Capela da Meia Légua (20H)
  2. Julho – Festa Senhora Saúde-Capela Meia Légua (12H)

 

❹. obrigado às pessoas do tapete do Corpo de Deus no Funchal (do Comando à Sé): Oferta de flores, apanha, corte de verdes, preparação. Agradeço a garagem (Sr. José João) e Câmara pelo transporte/apanha de verdes. Agradeço transporte flores para o Funchal: Sr. António Corte, Marques e Cortes Construções, Mateus Barros, Sr. Marcelino, Sr. António Teles. As flores  de Estufas Baeta e Flores Fernandes. As sandes da Flor do Vale (no corte de verdes) e flores de particulares. Obrigado a todos!

LEITURAS DO IX DOMINGO COMUM – ANO B

LEITURA I – Deut 5, 12-15

Eis o que diz o Senhor: «Guarda o dia de sábado, para o santificares, como te mandou o Senhor, teu Deus. Trabalharás durante seis dias e neles farás todas as tuas obras. O sétimo, porém, é o sábado do Senhor, teu Deus. Não farás nele qualquer trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu escravo, nem a tua escrava, nem o teu boi, nem o teu jumento, nem nenhum dos teus animais, nem o estrangeiro que mora contigo. Assim, o teu escravo e a tua escrava poderão descansar como tu. Recorda-te que foste escravo na terra do Egito e que o Senhor, teu Deus, te fez sair de lá com mão forte e braço estendido. Por isso, o Senhor, teu Deus, te mandou guardar o dia de sábado».

Salmo Responsorial,

Salmo 80 (81) –  Aclamai a Deus, nossa força.

LEITURA II .2 Cor 4,6-1

Irmãos: Deus que disse: «Das trevas brilhará a luz» fez brilhar a luz em nossos corações, para que se conheça em todo o seu esplendor a glória de Deus, que se reflete no rosto de Cristo. Nós trazemos em vasos de barro o tesouro do nosso ministério, para que se reconheça que um poder tão sublime vem de Deus e não de nós. Em tudo somos oprimidos, mas não esmagados; andamos perplexos, mas não desesperados; perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não aniquilados. Levamos sempre e em toda a parte no nosso corpo os sofrimentos da morte de Jesus, a fim de que se manifeste também no nosso corpo a vida de Jesus. Porque, estando ainda vivos, somos constantemente entregues à morte por causa de Jesus, para que se manifeste também na nossa carne mortal a vida de Jesus.

EVANGELHO Mc 2, 23-28

Passava Jesus através das searas num dia de sábado e os discípulos, enquanto caminhavam, começaram a apanhar espigas. Disseram-Lhe então os fariseus: «Vê como eles fazem ao sábado o que não é permitido». Respondeu-lhes Jesus: «Nunca lestes o que fez David, quando teve necessidade e sentiu fome, ele e os  companheiros? Entrou na casa de Deus, no tempo do sacerdote Abiatar, e comeu dos pães da proposição, que só os sacerdotes podiam comer, e os deu também aos companheiros». E acrescentou: «O sábado foi feito para o homem e não o homem para o sábado. Por isso, o Filho do Homem é também Senhor do sábado».